Gnome globe current event.svg
Este artigo ou seção é sobre um evento atual. A informação apresentada pode mudar com frequência. Não adicione especulações, nem texto sem referência a fontes confiáveis. (editado pela última vez em 16 de julho de 2019)
Surto de ébola em Kivu de 2018-2019
República Democrática do Congo e Uganda
Local República Democrática do Congo, Uganda.
Doença Ébola
Tabela
Países Casos Mortes Ref.
República Democrática do Congo RDC 2,790 1,665 [1]
Uganda Uganda 3 3 [2][3][4][5]
Total 2,793 1,668 [6]

O surto de ébola em Kivu de 2018-2019 é uma epidemia que se iniciou em 1 de agosto de 2018, quando foi confirmado que quatro casos tinham resultado positivo para a doença por vírus Ébola (DVE) na região oriental de Kivu, na República Democrática do Congo (RDC).[7][8][9] O surto em Kivu incluiu a província de Ituri, depois que o primeiro caso foi confirmado em 13 de agosto. Este surto começou apenas alguns dias após o fim do surto na província de Équateur.[7]

A província afetada e a área geral estão passando por um conflito militar, o que está dificultando os esforços de tratamento e prevenção. O Diretor-Geral Adjunto para preparação e resposta a emergências da Organização Mundial da Saúde (OMS) descreveu a combinação de conflito militar e sofrimento civil como uma potencial "tempestade perfeita" que poderia levar a um rápido agravamento do surto. A OMS relata que desde janeiro houve 42 ataques a instalações de saúde e 85 trabalhadores de saúde foram feridos ou mortos. Em algumas áreas, as organizações de ajuda tiveram que parar seu trabalho devido à violência. Os trabalhadores da saúde também precisam lidar com notícias falsas e outras informações errôneas espalhadas por políticos oponentes. Devido à deterioração da situação no Nord-Kivu e nos arredores, a OMS elevou a avaliação de risco a nível nacional e regional de "elevado" para "muito alto" em 27 de setembro de 2018; em abril de 2019, o surto ainda não é considerado uma emergência de saúde pública de preocupação internacional.[8]

Em 3 de outubro, o Conselho de Segurança das Nações Unidas salientou que toda a hostilidade armada deveria parar na RDC, para melhor combater o surto contínuo da DVE. Na semana que terminou em 14 de outubro, 33 casos foram identificados, dos quais 24 morreram. Em 9 de novembro, com 319 casos prováveis ​​e confirmados, o surto do vírus do Ebola em Nord-Kivu e Ituri em 2018 se tornou o maior da história da RDC, e em 30 de novembro o surto se tornou o segundo maior surto na história registrada, atrás apenas da epidemia da África Ocidental de 2013-2016. Em 13 de fevereiro de 2019, o total de casos (confirmados, prováveis ​​e suspeitos) equivalia a 1.000 indivíduos na RDC; é uma contagem de casos (mais de 1.000) para um único país que não é vista desde a epidemia da África Ocidental de 2013, na Libéria, Guiné e Serra Leoa. Em 3 de maio de 2019, nove meses após o surto, o surto da RDC ultrapassou as 1.000 mortes devido à epidemia de DVE que ainda não foi controlada. Por comparação, durante o surto do vírus ébola na África Ocidental, que durou dois anos, a Guiné (um dos três países mais duramente atingidos) teve um total de aproximadamente 2.500 mortes devido a DVE.[9]

Em 11 de junho de 2019, A OMS reportou que o vírus se espalhou para Uganda, através de um menino congolês de 5 anos que entrou em Uganda com sua família para assistência médica. Em 12 de junho, o paciente de 5 anos de idade faleceu, enquanto mais dois casos de ébola também foram confirmados naquela região.[10]

A OMS concluiu que, embora o surto tenha sido uma emergência de saúde na RDC e naquela região, ele não atende a todos os três critérios para que seja considerado uma Emergência de Saúde Pública de Preocupação Internacional (PHEIC).[11]

Referências

  1. «EBOLA RDC - Evolution de la riposte contre l'épidémie d'Ebola dans les provinces du Nord Kivu et de l'Ituri au Mercredi 12 juin 2019». Mailchi. Consultado em 13 de junho de 2019 
  2. Gladstone, Rick (12 de junho de 2019). «Two More Ebola Cases Diagnosed in Uganda as First Victim, 5, Dies». The New York Times. Consultado em 13 de junho de 2019 
  3. «2nd Ebola death in Uganda after outbreak crosses border». ABC News. Consultado em 13 de junho de 2019 
  4. «2nd Ebola death in Uganda after outbreak crosses border». ABC News. Consultado em 13 de junho de 2019 
  5. «Afro WHO sitrep 1» (PDF). Organização Mundial da Saúde. Consultado em 13 de junho de 2019 
  6. «EBOLA RDC - Evolution de la riposte contre l'épidémie d'Ebola dans les provinces du Nord Kivu et de l'Ituri au Jeudi 6 juin 2019». us13.campaign-archive.com. Consultado em 7 de junho de 2019 
  7. a b «Congo declares new Ebola outbreak in eastern province». Reuters. 1 de agosto de 2018. Consultado em 7 de junho de 2019 
  8. a b «Congo announces 4 new Ebola cases in North Kivu province». The Washington Post. Consultado em 7 de junho de 2019 
  9. a b «Cluster of presumptive Ebola cases in North Kivu in the Democratic Republic of the Congo». Organização Mundial da Saúde. Consultado em 7 de junho de 2019 
  10. Hunt, Katie. «Ebola outbreak enters 'truly frightening phase' as it turns deadly in Uganda». CNN. Consultado em 12 de junho de 2019 
  11. «Statement on the meeting of the International Health Regulations (2005) Emergency Committee for Ebola virus disease in the Democratic Republic of the Congo on 14 June 2019». Organização Mundial da Saúde. Consultado em 15 de junho de 2019 
Ícone de esboço Este artigo sobre doenças é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Original: Original:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Surto_de_ébola_em_Kivu_de_2018-2019